Trabalhadores da PBio pedem apoio ao deputado Paulo Ramos contra a venda da subsidiária e manutenção dos empregos 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O deputado federal Paulo Ramos (PDT-RJ) recebeu, hoje, um grupo de funcionários da Petrobras Biocombustível. Cerca de 90% dos trabalhadores da subsidiária estão em greve, por tempo indeterminado, em razão do anúncio de venda da PBio. Além da realocação dos empregados, concursados, fazem parte das pautas os impactos ambientas, sociais e econômicos que a venda trará para as regiões onde estão instaladas as usinas. Eles buscam apoio do deputado junto ao Congresso Nacional e na luta para frear o processo, além da incorporação do pessoal à Petrobras.

“Esse é mais um dos setores em que os tentáculos do governo Bolsonaro, com Paulo Guedes, entreguista, que não tem respeito à soberania nacional, está assediando. Vou integrar a frente de resistência! O grupo que está hoje no governo oriundo das Forças Armadas, inclusive o presidente da República, não tem nenhum compromisso com o Brasil. Vendilhões da pátria. Traidores do povo”, afirma Paulo Ramos. No dia 26 de maio, o presidente da Petrobras, general Joaquim silva e Luna, foi convidado para debater a política de desinvestimento da estatal e o planejamento de refino no Brasil em audiência pública da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados. 

A diretora do SindiPetro-RJ e Federação Nacional dos Petroleiros, Natália Russo, representando os funcionários da PBio, disse que a Petrobras alega que a demanda é impossível constitucionalmente. “A gente sabe que tem total possibilidade, outras estatais incorporaram seus trabalhadores. A Petrobras quer se livrar dessa mão de obra e não mais produzir biocombustível e, sim, só diesel verde, focado ainda em petróleo. O biocombustível é feito em usinas com outros tipos de matéria prima, da agricultura, em parceria com a agricultura familiar, defende a soberania alimentar no país, energética e o desenvolvimento sócio. É uma empresa que está alinhada com os interesses da transição energética no Brasil, com a necessidade de se desenvolver energias renováveis”. 

De acordo com Russo, países como a Alemanha já iniciaram o processo de transição. A ideia é que substituam todo o diesel do país por biocombustível até 2030. “A Petrobras, como outras petrolíferas do mundo, deveria fazer o mesmo processo para se transformar numa empresa de energia, não só produtora de petróleo, porque isso não está alinhado com a necessidade da defesa do meio ambiente”. 

2 comentários em “Trabalhadores da PBio pedem apoio ao deputado Paulo Ramos contra a venda da subsidiária e manutenção dos empregos ”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Endereço do Gabinete em Brasília
Endereço do Escritório no Rio de Janeiro