REPERCUSSÃO DA DENÚNCIA CONTRA MINISTRO PAULO GUEDES

A denúncia do deputado federal Paulo Ramos (PDT) contra o ministro da Economia, Paulo Guedes, repercutiu em diversos veículos de comunicação. Na denúncia, o parlamentar alega incompatibilidade entre a atuação privada no mercado financeiro e o cargo que o ministro. Os levantamentos foram objeto de representações encaminhadas à Comissão de Ética Pública da Presidência da República, ao Tribunal de Contas da União e à Procuradoria Geral da República.

– Um dos principais investigados na operação Greenfield, força tarefa da Procuradoria Federal do DF que investiga investimentos fraudulentos dos fundos de pensão, é o Ministro Paulo Guedes e pessoas a ele ligadas, inclusive o próprio irmão. Ele está vinculado a inúmeras empresas que captaram recursos públicos que são alvos de investigação através de inúmeros fundos de investimentos, não pode continuar blindado, pois tem seus tentáculos em outras instituições públicas, a começar pelo BNDES, afirma Paulo Ramos que considera a permanência de Guedes no Ministério da Economia um obstáculo às investigações.

Abaixo seguem os links dos veículos que repercutiram a denúncia:

Jornal GGN

Jornal Brasil 1247

Jornal Carta Capital

Conversa Fiada

Revista Forum

Congresso em Foco

Jornal O Dia

 

Mais Notícias

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on whatsapp
Compartilhe no Whatsapp
Share on telegram
Compartilhe no Telegram
Share on email
Compartilhe no E-mail
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest
Share on google
Compartilhe no Google+

Deixe um Comentário

1 comentário em “REPERCUSSÃO DA DENÚNCIA CONTRA MINISTRO PAULO GUEDES”

  1. Jonas de Souza Barros

    Sr. Paulo Ramos.
    Precisam aprofundar a ligação do Paulo Guedes com o seu sócio dono da LOCALIZA Salim Mattar e a UBER.
    Já se fala que Paulo Guedes quem pediu ao Ministro Marco Aurélio que no momento da aprovação da pirataria UBER no Supremo que fosse feito a propaganda da empresa UBER.
    Foi o cúmulo assistir uma decisão do Supremo onde nitidamente foi visto a ligação do ministro com a pirataria de Paulo Guedes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *