“É preciso conquistar e não perder”, diz Paulo Ramos sobre inclusão da PM e BM ao PL que reestrutura carreira de militares

O deputado Federal Paulo Ramos (PDT-RJ) explica que existem tramitando, hoje, no Congresso Nacional, duas mensagens que tratam de questões previdenciárias e que pode afetar os policiais e bombeiros militares. Na Câmara dos Deputados, o PL que reestrutura as carreiras dos militares das Forças Armadas e, no Senado, a PEC paralela que pode incluir na reforma da previdência estados e municípios. “Vamos ver como vem a emenda do Senado”.

Na Câmara, a reestruturação da carreira dos membros das Forças Armadas existe um esforço no sentido de contemplar os policiais e bombeiros militares. Paulo Ramos explica que há perdas, principalmente, para os da ativa. Inativos e pensionistas já têm direitos adquiridos. Não em todos os estados, mas no Rio de Janeiro já tem a paridade e a integralidade. O que está em jogo para os da ativa é o aumento do tempo de serviço de 30 para 35 anos e acabar com a promoção ao posto ou à graduação imediata na passagem para a inatividade.

“Não é possível lutar para abrir mão de direitos, alguns conquistados com muita luta. Aqueles que dirigem entidades representativas de PM e BM promovam reuniões, convidem parlamentares oriundos dos quadros das polícias e bombeiros militares.”

Paulo Ramos, quando na Assembleia Nacional Constituinte, era o único parlamentar oriundo da Polícia Militar do Brasil. Assim mesmo, com as lutas travadas, foram muitos direitos conquistados, como a integralidade e a paridade.

“É importante que todos os companheiros e companheiras sejam esclarecidos a partir de reuniões, debates. Não cantem vitória e abandonem o território. Existe a possibilidade de perdas expressivas.”

O deputado Paulo Ramos se colocou a disposição das entidades representativas para participar, esclarecer e receber sugestões.

“Me lembro, na nossa AME (Associação de Oficiais Militares Estaduais), quando presidida pelo Cel Paulo Monteiro, reunia todas as entidades. Deixo a sugestão para que o presidente atual, Cel Soares, promova uma reunião, convide entidades representativas e parlamentares oriundos da PM que estão em Brasília exercendo mandatos.”

“É preciso conquistar e não perder”.

Mais Notícias

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on whatsapp
Compartilhe no Whatsapp
Share on telegram
Compartilhe no Telegram
Share on email
Compartilhe no E-mail
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest
Share on google
Compartilhe no Google+

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *