MEDIDAS PARA REDUZIR A CRIMINALIDADE EM LARANJEIRAS FORAM DISCUTIDAS NA ALERJ

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Explosão de caixas eletrônicos, roubos de carros e assaltos ao comércio local. Atos de violência como estes, além dos crimes sofridos por moradores e visitantes no bairro de Laranjeiras, foram tema de audiência pública da Comissão de Segurança Pública na Assembleia Legislativa do Estado do Rio dê Janeiro (Alerj), presidida pela deputada Martha Rocha (PDT). – Foto: Soares / Alerj

Explosão de caixas eletrônicos, roubos de carros e assaltos ao comércio local. Atos de violência como estes, além dos crimes sofridos por moradores e visitantes em Laranjeiras, Zona Sul da capital, foram tema de audiência pública da Comissão de Segurança Pública na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) nesta segunda-feira (25/06). A presidente da comissão, deputada Martha Rocha (PDT), destacou, entre as medidas sugeridas para conter a criminalidade no bairro, a necessidade de melhoria no efetivo das polícias Civil e Militar, contando com reforço da 1º Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) nas ruas próximas ao Palácio da Guanabara. Outra questão debatida na audiência foi a dificuldade da polícia de atuar nos arredores dos túneis Santa Bárbara e Rebouças.

Deputado Paulo Ramos (PDT)- Foto: LG Soares / Alerj.

Um dos principais problemas tem sido o excesso de trabalho em relação ao número de policiais. A análise foi feita por Alexandre Braga, delegado titular da 9º Delegacia de Polícia (Catete). A unidade conta, segundo ele, com apenas 36 policiais, número insuficiente para a área. “Nós trabalhamos muito com os poucos recursos que dispomos”, disse. Além disso, a delegacia lida com condições inadequadas, de acordo com o policial, com problemas na fiação elétrica e com goteiras. A comissão prometeu acompanhar a solução destas questões. “Acompanhamos o que acontece no estado em relação à segurança pública”, afirmou o deputado Paulo Ramos (PDT), autor do requerimento que originou a audiência e membro da comissão.

A segurança no bairro já vem registrando melhora em alguns índices como a redução do número de roubos de carros no último mês. A afirmação foi feita pelo comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar (Botafogo), tenente-coronel Carlos Henrique Gonçalves. A unidade que cobre a região, segundo ele, recebeu mais viaturas e motos recentemente. “Nós estamos implementando novos tipos de serviços exclusivos para aquela região, além dos que já existiam”, afirmou o comandante que assumiu o cargo em abril.

Engajamento da comunidade

Marcus Vinicius Seixas, presidente da Associação de Moradores e Amigos de Laranjeiras. – Foto: LG Soares / Alerj

Laranjeiras conta com apoio total de seus moradores para solucionar os problemas locais. Entre as organizações que contribuem para melhorias está a Associação de Moradores e Amigos de Laranjeiras (AMAL), prestes a completar 40 anos. “A gente defende ampliar para o entorno o trabalho já realizado pelos policiais que tomam conta do Palácio Guanabara” defendeu o presidente da AMAL, Marcus Vinícius Seixas. “Por que eles não poderiam contribuir tomando conta dos arredores da sede do governo estadual?”, questionou.

A deputada Martha Rocha se disse impressionada com o engajamento dos moradores da região. “Poucas vezes vi um bairro tão organizado”, reparou. “A comunidade de Laranjeiras tem muito a nos ensinar.” O deputado federal Ricardo Maranhão (PSB), morador do bairro há 35 anos, também parabenizou a iniciativa da audiência. Além dele, marcaram presença os parlamentares Waldeck Carneiro (PT) e Eliomar Coelho (PSol).

 

Tenente Coronel Carlos Henrique Gonçaves, comandante do 2° BPM. – Foto: LG Soares / Alerj

 

Deputada Martha Rocha (PDT), presidente da Comissão de Segurança Pública da Alerj. – Foto: LG Soares / Alerj

Fonte: Site da Alerj

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Endereço do Gabinete em Brasília
Endereço do Escritório no Rio de Janeiro