COMISSÃO DA ALERJ DEBATE PISO SALARIAL PARA TÉCNICOS EM RADIOLOGIA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Foto geral da reunião – foto: Octacílio Barbosa

A Comissão de Trabalho, Legislação Social e Seguridade Social da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) discutiu nesta terça (22/05) o piso regional para os técnicos em radiologia. Com a Lei 7898/2018, que entrou em vigor em março, os profissionais da área passam a receber um salário 50% superior ao anterior. Os sindicatos dos trabalhadores consideram a atualização da norma uma reparação justa diante de perdas salariais recentes. Já os sindicatos patronais argumentam que o reajuste pode quebrar os hospitais de médio e pequeno porte.

Marcello Carlos, Diretor Presidente do CRTR-RJ – Foto: Octacílio Barbosa

Os técnicos em radiologia passam de um vencimento básico de R$ 1.605 para R$ 2.421. A esse valor é acrescido ainda um percentual de 40% como adicional de insalubridade, que já era aplicado anteriormente. O presidente do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, Armando Carvalho, argumentou que o impacto na folha salarial inviabiliza o funcionamento de parte importante da rede de saúde privada. Segundo ele, só as grandes redes de hospitais têm condições de arcar com esse custo. “O Rio de Janeiro está quebrado. Temos que ter responsabilidade na gestão. Muitos hospitais pequenos vão quebrar. Será que estamos aqui para

olhar apenas um lado da moeda?”, questionou.

Um dos diretores da Sociedade Brasileira de Radiologia, Carlos Souza argumentou que o incremento salarial previsto pelo enquadramento dos profissionais na lei vai reduzir a oferta de serviços de diagnóstico que dependem dos técnicos em radiologia e causar desemprego. “ O mais importante é evitar o desemprego. Os técnicos merecem

Armando Carvalho, presidente da SINDHERJ – Foto: Octacílio Barbosa

aumento, como os motoristas de ônibus e as empregadas domésticas também merecem, mas isso é inviável. Eu tenho uma pequena clínica em que eu poderia fazer 100 radiografias por dia, mas eu só faço oito porque cada radiografia que eu faço me dá um prejuízo de R$ 20”, contabilizou o médico.

Marcello Carlos, presidente do Conselho Regional dos Técnicos em Radiologia, afirmou que a categoria tem sofrido perdas salariais nos últimos anos e que o novo piso leva em consideração a necessidade de constante aperfeiçoamento profissional. “Nós somos a menor equipe dentro de um hospital. Enquanto existe uma média de 20 técnicos de enfermagem por turno, há apenas dois técnicos em radiologia. Vamos passar a ganhar cerca de R$ 3,4 mil. É uma remuneração justa para a complexidade da profissão”, pondera.

Rubens Raymundo Junior, representante do CRO-RJ e ABRO – Foto: Octacílio Barbosa

Fonte: Site da Alerj

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Endereço do Gabinete em Brasília
Endereço do Escritório no Rio de Janeiro