Defender o serviço público é lutar contra a Reforma Administrativa 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O deputado federal Paulo Ramos (PDT-RJ) é um dos coordenadores da Frente Parlamentar Mista do Serviço Público, criada para proteger os direitos dos servidores. A Frente atua também na garantia da qualidade dos serviços de atendimento à população.

Para Paulo Ramos, a principal pauta da Frente, hoje, é a de unir forças para impedir a aprovação da PEC 32/20. “Precisamos unir nossas forças para conseguir apoio da ampla maioria do Congresso é barrar essa criminosa reforma administrativa. A reforma, além de penalizar o servidor público, fragiliza, aniquila ainda mais o serviço público, prejudica a população, principalmente aqueles que dependem de saúde e educação pública”. 

No Congresso Nacional, o colegiado combate projetos que prejudiquem tanto os servidores, quanto os que dependem dos serviços prestados pelas instituições. Da mesma forma, a Frente discute as propostas relacionadas com o servidor e o serviço público. 

Conheça a Frente Parlamentar Mista do Serviço Público:

https://frenteparlamentardoservicopublico.org/frente/

Deputado Paulo Ramos

3 comentários em “Defender o serviço público é lutar contra a Reforma Administrativa ”

  1. https://blogdoberta.com/2021/02/11/nomeacoes-influencia-deputado-dr-luizinho-saude-rj/

    Um projeto de poder envolvendo secretários, o legislativo por intermédio deste deputado federal, o governador, um partido político o presidente da Câmara Federal.
    A prisão dos quatro desembargadores efetuada pela Operação Mais Vaia da PF ratificando os atos criminosos efetuados pelos mafiosos, colocam em xeque o Estado Democrático de Direito.
    O fechamento de um Hospital público geriátrico em Campo Grande, zona oeste do Rio de Janeiro e também maior colégio eleitoral daquele Estado, pode desencadear o desdobramento da investigação da P.F, servidores ameaçados do fechamento da unidade em plena pandemia, sem um motivo que pudesse explicar seu fechamento e provavel demolição, assim como o Cabral fez com o IASERJ central, desta vez o algoz era o secretário de saúde indicado pelo Deputado federal Luiz Antonio Teixeira (luizinho), a partir daí começaram uma investigação, e lembram que o secretário seria o testa de ferro do grupo, uma vez que não teria a competência para tomar esta atitude deliberadamente, sem ferir o primeiro dos princípios da administração pública: o Princípio da Legalidade, está decisão precisaria passar pelo crivo dos conselhos de saúde como determina a lei federal 8142/90, responsável pelo controle social do SUS , também pela comissão de saúde da Alerj.
    Os servidores desconfiam do encaminhamento do hospital, mais uma vez para as Organizações sociais, para desvio de verbas, cabides de empregos para currais eleitorais.
    Lembram que são servidores do público capacitados por concursos públicos, não tem comprometimento com gestores, partidos políticos, seu comprometimento é com o Estado Democrático de Direito e que são partes dele, os gestores são transitórios e precisam respeitar as normais constitucionais.

  2. JAILENE MASCARENHAS

    Boa noite, deputado! Essa reforma é extremamente injusta conosco, servidores da base q recebem 2 ou 3 salários mínimos e não temos privilégios algum. Precisamos de socorro, deputado, seremos jogados na miséria.

Deixe uma resposta para Jaqueline Silva Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Endereço do Gabinete em Brasília
Endereço do Escritório no Rio de Janeiro