Após solicitação do dep. Paulo Ramos, MPF determina que FNP é Sindipetro sejam ouvidos na investigação sobre a mudança no plano de saúde AMS da Petrobras

Em resposta a solicitação do deputado federal Paulo Ramos (PDT/RJ), o Ministério Público Federal (MPF), em despacho, determinou que a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e o Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro – Sindipetro – sejam ouvidos na investigação que apura a decisão da Diretoria Executiva da Petrobras de mudar o modelo de gestão do plano de saúde AMS da Estatal.

O parlamentar é autor de representação no MPF contra a decisão e tomou conhecimento que, no Acordo Coletivo de Trabalho, a Federação Única dos Petroleiros utilizou a AMS como moeda de troca com a Petrobras. “Fato curioso é que, diante dessa “associação” entre a FUP e a PETROBRAS, houve um aumento que varia de 284% até 1100% na tabela da AMS a partir de Jan/2021 + 12% a partir de Mar/2021, sem falar no aumento das participações de 70 x 30% para 60 x 40% a partir de Jan/2021 e 50 x 50% a partir de Jan/2022 o que obrigará a pelo menos 100.000 participantes engrossarem as filas do SUS. Portanto, requeiro que todos possam ser ouvidos nesta investigação”, escreveu Paulo Ramos.

No mesmo despacho, o MPF, considerando a necessidade de reunir mais informações, prorroga o prazo de instrução deste Procedimento por 90 dias. “Após a manifestação da Petrobras, este Procedimento prosseguiu em comunicações com o TCU e com a FUP, tratando em especial do que interessa a este feito no Acordo Coletivo de Trabalho 2019/2020 e sobre o Pedido de Mediação Pré-Processual em trâmite no TST. Registro que, após contato com o novo advogado da FUP – Federação Única do Petroleiros, Dr. Celson Ricardo Carvalho de Oliveira, foi-lhe solicitado o envio, por escrito, de todas as alegações que sejam de interesse da FUP sobre este caso”, despachou Gustavo Magno, procurador da República.

clique no link para acessar o documento na íntegra.

2 comentários em “Após solicitação do dep. Paulo Ramos, MPF determina que FNP é Sindipetro sejam ouvidos na investigação sobre a mudança no plano de saúde AMS da Petrobras”

  1. Franciscano Ubiratan de Souza Maria Margarida de Souza

    Querem acabar com a assistencia médica dos trabalhadores Petrobras, os aposentados são os que mais precisam dessa assistência, já estamos pagando caro pelos desmandos na Petros, e agora esse aumento absurdo na AMS, não vamos aguentar

  2. Manoel Gomes Cavalcante

    Bom dia! É lamentável mais a Petrobrás e a PETROS só sabem retirar dinheiro dos aposentados e assistidos, não se satisfazem em estar obrigado agente pagar uma divida do equacionamento que nós não conhecemos e nem fizemos. Não deixaram roubar a Petrobrás é a mentora dessa desgraça toda, então ela que pague. Os funcionários e assistidos já não aquenta mas de tanta picaretagem, é vem aí mais desconto extra da AMS agora em novembro de 2020, agente passando por uma triste situação dessa e vem mais desconto, e uma das maiores covardia que uma empresa do porte da Petrobrás pode fazer com os seus aposentados e assistidos. Eu só sei dizer que quem planta um dia cole é inevitável. Que Deus nos proteja desses canalhas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on whatsapp
Compartilhe no Whatsapp
Share on telegram
Compartilhe no Telegram
Share on email
Compartilhe no E-mail
Share on linkedin
Compartilhe no Linkdin
Share on pinterest
Compartilhe no Pinterest
Share on google
Compartilhe no Google+

Deixe um Comentário